Jornalista baiano participa de ‘reality show’

Marjorie Moura, jornal A Tarde, hoje.

Imprevisível, criativo, bem-humorado e observador. Se depender destas qualidades, o jornalista Jean Wyllys, o big brother baiano entre 12 candidatos da quinta edição do programa, que começa na próxima segunda-feira, tem tudo para chegar à final da animada disputa.

Wyllys atuou como repórter em jornais de Salvador durante muitos anos. É também escritor, professor universitário e mestrando da Faculdade de Comunicação da Ufba. A possibilidade de ganhar o prêmio de R$ 1 milhão e de obter novos conhecimentos é apontada por alguns colegas como o grande estímulo para a empreitada.

Mas este novo caminho pode causar surpresa para quem se acostumou a vê-lo apenas na área acadêmica, à qual vem se dedicando há alguns anos. Recentemente, assumiu a coordenação de um curso de pós-graduação em Jornalismo e Direitos Humanos, função que não poderá exercer nas próximas 11 semanas.

Mas Wyllys leva como vantagem sobre seus adversários o fato de ser irreverente. Esta é a opinião de Heloísa Sampaio, assessora de imprensa da Emtursa e ex-professora de Jean Wyllys. “É a cara dele participar deste tipo de aventura, que com certeza vai satisfazer seu espírito irrequieto. Vai ser um grande Big Brother, fazendo com que a casa fique para lá de animada”, diz a professora, que confessa estar na maior expectativa. TORCIDA – “A maior novidade do BBB é sempre os moradores da casa. São eles que fazem a grande diferença de um programa para o outro”, explica o diretor-geral do programa, José Bonifácio de Oliveira, o Boninho.

O professor Jean Wyllys se enquadra perfeitamente nesta condição, afirma a ex-aluna por dois semestres e torcedora declarada, Iracema Freire. No dia 2 deste mês, uma turma de estudantes foi reunida pelo novo BBB para que fosse filmada a simulação de uma aula. Na ocasião, diz, os alunos assinaram um contrato de que não revelariam a participação do professor no programa da Rede Globo.

Iracema vê com naturalidade o fato de o professor participar do programa, pois ele não apenas comentava diariamente os episódios, como encerrava suas aulas noturnas impreterivelmente no horário, pois não queria perder o BBB. Wyllys também costuma falar de novelas, músicas e manifestações artísticas, pois para ele não existe o brega, comenta Iracema, que promete empenho total caso o mestre chegue a ser indicado ao paredão por um motivo especial: faz parte do grupo de estudantes de 5º e 6º semestre da Faculdade Jorge Amado indicados pelo BBB para apoiá-lo no Rio de Janeiro

MAIS SOBRE OS BAIANOS:

10/01/2005 – 16:55

Conheça os “baianos” que disputam R$ 1 mi no “BBB 5”

Eder Luis Santana, do A Tarde On Line

Os participantes do “Big Brother Brasil 5” estão confinados desde a tarde desta segunda-feira, 10, na casa que vai ser cenário da disputa por R$ 1 milhão de reais. Dos 12 participantes selecionados, um é baiano, o professor universitário Jean Wyllys, 30, que é natural de Alagoinhas, e outra vive no Estado desde os seis anos de idade, Juliana, estudante de 18 anos que mora no Prado.

Marcelo Cerqueira e Jean

A Tarde On Line conversou com familiares dos baianos na casa e traçou o perfil de cada um. O jornalista Jean Wyllys e a estudante Juliana Brandão entram na disputa com todo gás. Saiba mais sobre esses baianos “retados” e comece já sua torcida.

Juliana Brandão dos Reis – Com apenas 18 anos, a jovem terminou o ensino médio e sonha em estudar Artes Cênicas. Nascida em João Monlevade, cidade industrial a 100 quilômetros de Belo Horizonte, veio morar na Bahia há 12 anos.

Junto com os pais e dois irmão, Juliana vive em Cumuruxatiba, um vilarejo no extremo sul do estado conhecido por ser o distrito de Prado.

De acordo com a mãe da garota, a pedagoga Eliane Brandão, 43, Juliana nunca demonstrou interesse em participar da competição. Ela diz ter sido uma grande incentivadora da participação da filha no programa.

Além de estudar, Juliana trabalhou como garçonete no trailer onde o pai vende lanches que ajudam no sustento da família. Para realizar o sonho de trabalhar com teatro, faz planos de partir para uma cidade maior como Salvador, Vitória ou Belo Horizonte.

“Acho que esse programa traz oportunidades que nossa família não pode oferecer a ela”, conta Eliane Brandão.

Jean Wyllys de Matos Santos – Na última segunda-feira, 3, a equipe da “Rede Globo” foi até a cidade de Alagoinhas com o objetivo de captar imagens que retratassem a infância do jornalista e professor Jean Wyllys.

Ao término das gravações a família foi comunicada que havia começado o confinamento. Ninguém mais falou com Jean.

“A única coisa deixada foi uma carta na qual falava sobre as coisas dele que eu teria de resolver”, lembra a irmã e companheira de apartamento, Josiane Matos Santos, 33.

Jean Wyllys nasceu em Alagoinhas e morou durante três anos num colégio interno na cidade de Pojuca. As únicas folgas aconteciam nos festejos juninos e nas comemorações do final de ano. De lá saiu com formação técnica em informática.

Em seguida, Jean veio morar em Salvador junto com a irmã. Outros quatro irmãos continuam no interior.

Abandonou a área de informática ao passar em Jornalismo e ingressar de vez na carreira. Trabalhou em dois jornais locais e hoje é professor das Faculdades Jorge Amado.

“Tenho certeza de que ele pode ganhar. É um cara inteligente e sabe cumprir o papel dele”, diz Josiane Matos.