Bom, conseguimos não sei como, sensibilizar uma simpática criatura da Tasmânia. Quem maliciosamente pensou no fofinho mas carniceiro marsupial “Diabo-da-Tasmânia” se enganou redondamente. Pelo contrário. Este alguém de lá entrou no Portal Marccelus e fez o contato conosco. Se trata do artista transformista conhecido como “The Dame”.

Seu nome artístico é “Palula Cork” e o lugar em que ela vive é um Éden. Fica na Oceania e tem a Wineglass Bay como a mais famosa praia do mundo. Mervyn, seu nome verdadeiro, atualmente trabalha num musical inglês em que faz três personagens femininos. É uma pessoa iluminada que ajuda a sua comunidade fazendo shows em casas de repousos e asilos. Ele acalenta um sonho antigo de vir cantar no Brasil, será possível?

É viável ser homossexual na Tasmânia?

A Tasmania é um lugar bonito, muito tranquilo com uma vida gay pequena. Entretanto com leis que protegem as pessoas gays, o que é muito bom.

Palula Cork e Dame Petula Clark, quem são?

É um prazer falar sobre minha carreira de cantora. Eu fui batizado com o nome da famosa estrela inglesa Petula Clark. Meu pequeno sobrinho não conseguia pronunciar o meu nome e acabava dizendo “Palula Cork”. E assim ficou. Inicialmente eu comecei a cantar em Melborne. Desde 1996 e somente cantava em um bar gay chamado “Jocks”. Os proprietários me deram o título de “Dame”.

Como você chegou a Tasmânia?

Eu vim para a Tasmânia para ajudar nos negócios do meu irmão. Nunca imaginei que eu poderia me apresentar e ser cantora. Entretanto as pessoas daqui foram tão acolhedoras e realmente gostam quando “The Dame” canta, principalmente as pessoas mais velhas. Eu acho que as músicas dos anos 20, 30, 40, 50 e 60 tem muito significado, particularmente agora com tanta violência no trabalho, estas velhas canções com as suas bonitas palavras podem ser felizes, tristes, divertidas e dramáticas.

Você tem feito as pessoas felizes com a sua arte?

Eu gosto de fazer trabalhos comunitários. Ajudo em um programa local de uma rádio da comunidade, em uma casa de repouso para pessoas idosas e em várias outras atividades. Eu também gosto de cantar em hotéis locais e sou co-coordenador da Oficina de Teatro de Dunalley (uma pequena organização da comunidade) e eu também tenho representado, faço atualmente o papel de três mulheres em uma peça divertida, uma comédia inglesa. Nós estamos produzindo um Cabaret, chamado “Hernando´s Hideaway” em cima do roteiro e parodiando o musical “The Pyjama Game”, um antigo sucesso estrelado pela talentosa Doris Day.

Qual o seu público?

Eu canto para todo mundo e é uma comunidade heterossexual. Eu adoro fazer isto, cantar. Eu os sensibilizo em seus corações e eles me emocionam quando apreciam o meu trabalho. Eu adoraria ir ao Brasil e cantar, seria um sonho para mim.

Palula e seus personagens se confundem?

Eu sou o Mervyn ou a Palula Cork. Sou somente uma simples pessoa que vive em um lugar pequeno. Contudo eu adoro divertir todo mundo quando me transformo em “The Dame”. E você poderá me ver como outras personificações, à exemplo da Senhora Enid Snood, uma dama de respeito. E mais recentemente como a senhora Thelma Greeenwood, uma clássica britânica de meia idade que arrasa fazendo parte da comédia inglesa. Ela é muito engraçada e tem que sempre parecer estar numa vitrine fashion com seu jeito austero e abarrotada de pérolas. Eu também sou uma Irmã Enfermeira (A irmã Mervyn, em uma peça muito boa para fazer todo mundo rir)

Qual a sua imagem do Brasil?

Só lembrando que o Brazil teve uma famosa estrela do cinema nos anos 40, chamada Carmem Miranda…que está morta há mais de quarenta anos, mas que continua muito lembrada por países de língua inglesa devido a sua maravilhosa personalidade, a sua felicidade, ao seu talento cômico, a sua musico e é claro, pelo seu inconfundível chapéu com enormes frutas tropicais. Ela era realmente uma senhora do Chapéu Tuti-frutti. Carmem Miranda fez o Brasil ficar famoso para o resto do mundo muito antes que qualquer time em copa do mundo ou as estrelas do futebol.

Petulia Clark tem agora 72 anos, e fez muito sucesso nos anos 60. Ela tem muitos admiradores gays. O seu maior sucesso foi “Downtown” escrito pelo Tony Hatch e acredito que atualmente está remixado e seja a canção oficial do turismo de Nova York. Ela recentemente visitou a Australia e a Nova Zelandia, vive atualmente em Londres e em Nova York.

A “Dame” is a title that officially Queen Elizabeth II of England (she is also Queen of Canada, Australia, and New Zealand!!) gives to ladies for outstanding work in their field (I.e. Movie Star Elizabeth Taylor). But in my case, the owners of the bar in Melbourne called me a “Dame”. The Queen doesn’t know about me yet!!!!!!!

Não esquecemos do nosso amiguinho….