Crime gay – O assassinato da Ladeira de Santa Tereza

Crime “gay do pacote” em Santa Tereza!

Crime prescrito. Não houve solução e o esquartejado da Ladeira de Santa Tereza quase acaba virando uma lenda, gay e urbana. Um espectro que vaga e não descansa em paz. O seu algoz? Seguramente à solta até hoje. Estávamos nos anos 70 e em 08 de Agosto de 1972, no alto da Ladeira de Santa Tereza, embrulhado em um saco plástico brilhante um corpo decepado foi encontrado. No curso das investigações a perícia supos tratar-se de um homossexual, dada as “evidentes cicatrizes e fissuras anais”. Fora declarada a guerra aos “entendidos” de então. Aberta a temporada de caça aos afeminados.

Nunca a Ladeira de Santa Tereza figurou tanto na mídia. Este logradouro que já fora subúrbio da cidade no primeiro censo português de 1757 tornara-se página policial. Quem seria o mutilado gay?

ladsantatereza000002Muito comum eram as batidas à bordéis, tais casas suspeitas se tornaram o alvo da polícia. Todos queriam saber a identidade do morto e a descoberta do assassino. Humilhações e injustiças foram praticadas. Naquele momento tínhamos em conta uma aversão quase que total da sociedade à hippies e à invertidos [termo depreciativo muito usual no jargão policial da época]. Bastante sensacionalismo, manchetes diárias e rumores descabidos faziam do “crime do pacote” um acontecimento fabuloso. E aí entra uma infeliz vítima, “Tânia Regina” o Dirson, enfermeiro gay, portador de problemas mentais, com prática legista e conhecedor de anatomia que veio escoltado de São Paulo e amargou na prisão. Tendo um álibe irrefutável e constatada a sua inocência foi à duras penas solto. E tudo voltou à estaca zero. O “Crime do Pacote” entrou para o rol dos insolúveis.

ladsantatereza000004Foram tempos de agruras aos homossexuais e como se clamassem as pedras do chão, a Ladeira de Santa Tereza uma década depois do esquartejado, sediou em uma das suas casas a Boate Safári. Cenário de espetáculos originais, que tinhana direção e produção dos shows os costureiros Di Paula e Júlio Cezar Habib. A Safári protagonizou momentos inesquecíveis como uma semana de dança e dublagens “Tina Charles in concert”, nos “Embalos dos Gays à noite” uma paródia aos sucessos do JohnTravolta e para mim, o que não dá pra esquecer mesmo, era assistir ao belo Habib dublando o pout-pourri “Sonhar Contigo” do Adilson Ramos.

A Ladeira continua lá ao lado da Rua Carlos Gomes e no centro de Salvador. Envolta em suspense e quase mística. Mais duas décadas passadas, estamos em 2004 e mais um ambiente friendly no local, a sauna Esgrima, leia-se pela medievalesca idéia: “luta à espada entre cavalheiros de fino trato”. O que não poderia ser diferente em tão vetusto e secular casarão.

Para quem é sensitivo e aprecia ver além do jardim. É só mirar e sentir o curto trajeto de dor e de delícia da pequena rua. Uma cena do cotidiano gay de Salvador que não pode ser esquecida. A memória homossexual da cidade resiste!

 

Mais Fotos

ladsantatereza000003

ladsantatereza000005

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>